Plataforma RTP Ensina

Loading...

terça-feira, 22 de Abril de 2014

Entrevista a um soldado da Guerra Colonial

1 - Como se chama? 
Álvaro Marques Fernandes.

2 - Quantos anos tem? 
Tenho 63 anos.

3 - Qual a sua morada ? 
Rua Paulo Bandeira nº6.

 4 - Em que colónia residia quando se deu a Guerra Colonial? 
Em Angola.

5 - Como viveu esse momento difícil da sua vida? 
Com muito sacrifício, muita dor e saudades.

6 - Que recordações tem desse período da historia de Portugal? 
Boas – amizade e a camaradagem e a confiança entre colegas. Más – Saídas para a mata, contactos com o inimigo e quando tínhamos feridos e mortos.

7 - Qual era a sua ocupação nas colónias portuguesas? 
Soldado: Fiz parte de uma força especial “ Comandos “ em 1963 em Angola, por causa da guerra angolana.

8 – Qual era a sua vida em África? 
Combater o inimigo nas matas angolanas.

9 -Tem saudades desse tempo ? Porquê ? 
Sim, por causa da idade que tinha na altura, pela camaradagem que tinha com os camaradas de armas.

10 - Como enfrentou a mudança ao regressar a Portugal ? 
Tudo diferente, saí de cá com a Ditadura e cheguei cá com a Democracia. Difícil adaptação.

 Ruben nº22 6ºC  


    

quinta-feira, 3 de Abril de 2014

Entrevistas

Entrevista com Portugueses retornados das Colónias

1-Como se chama ?
2-Quantos anos tem ?
3-Qual a sua morada ?
4- Em que colónia residia quando se deu a descolonização ?
5-Como viveu esse momento difícil da sua vida ?
6-Que recordações tem desse período da história de Portugal ?
7-Qual era a sua ocupação nas colónias portuguesas?
8- Como era a sua vida em África ?
9-Tem saudades desse tempo ? Porquê ?
10-Como enfrentou a mudança ao regressar a Portugal ?

Entrevistas

Entrevista a um preso Político durante a Ditadura



1- Como se chama ?
2-Que idade tem ?
3-Em que ano foi preso ?
4-Sabe o motivo porque foi preso durante a Ditadura?
5-Onde esteve preso ?
6-Como foi viver essa experiência ?
7-Que recordações tem desses dias na prisão ?
8-Como eram os interrogatórios na prisão ?
9-Como reagiu a sua família ?
10-Como viveu o 25 de Abril de 1974 ?

Entrevistas

Entrevista a um Emigrante

1-Como se chama ?
2-Quantos anos tem ?
3-Qual é a sua morada ?
4-Em que ano emigrou para a Europa ?
5-Quais foram as razões que o levaram à emigração ?
6-Em que país esteve emigrado?
7-Que profissão foi desempenhar nesse país de acolhimento ?
8-Quanto tempo durou a sua estadia nesse país?
9-Como decorreu a viagem para esse país de acolhimento ?
8-Que recordações tem desse tempo ?
10-Qual a recordação mais dificil dessa época ?

Entrevistas

Entrevista a um combatente da Guerra Colonial


1-Como se chama ?
2-Quantos anos tem ?
3-Qual é a sua morada ?
4-Participou na Guerra Colonial ?
5-Em que ex-colónia ?
6-Quanto tempo durou a sua participação na guerra colonial ?
7- Como decorreu a viagem ?
8-Que recordações tem desse tempo ?
9-Qual a recordação mais dificil dessa guerra ?
10-Quantos camaradas de armas perdeu durante a guerra ?

segunda-feira, 10 de Março de 2014

A Portuguesa Data: 1890 (com alterações de 1957) Letra: Henrique Lopes de Mendonça Música: Alfredo Keil

Data: 1890 (com alterações de 1957) Letra: Henrique Lopes de Mendonça Música: Alfredo Keil

I
Heróis do mar, nobre povo, 
Nação valente, imortal, 
Levantai hoje de novo 
O esplendor de Portugal! 
Entre as brumas da memória, 
Ó Pátria sente-se a voz 
Dos teus egrégios avós, 
Que há-de guiar-te à vitória! 

Às armas, às armas! 
Sobre a terra, sobre o mar, 
Às armas, às armas! 
Pela Pátria lutar! 
Contra os canhões 
marchar, marchar! 

II 
Desfralda a invicta bandeira 
À luz viva do teu céu! 
Brade a Europa à terra inteira: 
Portugal não pereceu 
Beija o solo teu jucundo 
O oceano, a rugir d'amor, 
E o teu braço vencedor 
Deu novos mundos ao Mundo! 

Às armas, às armas! 
Sobre a terra e sobre o mar, 
Às armas, às armas! 
Pela Pátria lutar! 
Contra os canhões
 marchar, marchar! 

III 
Saudai o Sol que desponta 
Sobre um ridente porvir; 
Seja o eco de uma afronta 
O sinal de ressurgir. 
Raios dessa aurora forte 
São como beijos de mãe, 
Que nos guardam, nos sustêm, 
Contra as injúrias da sorte.

Às armas, às armas! 
Sobre a terra e sobre o mar, 
Às armas, às armas! 
Pela Pátria lutar! 
Contra os canhões 
marchar, marchar!